Portuguese English French German Italian Spanish
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária

ELVAS: Trabalhadores da Câmara vivem "dificuldades financeiras"

Os trabalhadores do Município de Elvas, obrigados a devolver o dinheiro relativo a aumentos salariais, estão a passar por dificuldades financeiras "muito preocupantes", alertou hoje um dirigente sindical.

"Há trabalhadores e famílias que estão a recorrer à ajuda do Banco Alimentar e a instituições de solidariedade social. A situação é preocupante, porque há colegas que perante esta situação têm grandes dificuldades de sobrevivência", disse à Lusa, Francisco Vieira, dirigente do Sindicato dos Trabalhadores da Administração Local (STAL).

A câmara presidida por José Rondão Almeida, anulou os aumentos salariais efectuados em 2009, exigindo a devolução do dinheiro.

Esta decisão afetou perto de 160 trabalhadores, que estão a devolver o dinheiro recebido.

Manuel Badalo, de 50 anos de idade, a trabalhar na autarquia há 20 anos, diz-se preocupado com a situação.

"Do meu ordenado é retirado mensalmente a quantia de 94.40 euros, mas a situação fica mais grave, porque o reposicionamento foi anulado e voltei à posição e grelha salarial anterior, o que perfaz um total de 200 euros que estou a perder", explicou. "Tinha a minha vida dimensionada para um determinado orçamento familiar e agora a receita mensal é muito inferior", lamentou o funcionário.

O executivo contemplou no orçamento municipal para 2011 uma verba para os reposicionamentos salariais no corrente ano, contudo, a mesma não pode ser aplicada.

"A lei do Orçamento do Estado veio obstruir a possibilidade de haver reposicionamentos salariais em 2011, tendo ficado congelados, apesar de estarem em orçamento autárquico", explicou o sindicalista Francisco Vieira.

"Temos fé que ainda no decorrer deste ano haja novidades. Os processos dos trabalhadores estão num gabinete jurídico e a 17 de Março deveremos saber o que vai acontecer a seguir".

CRATO: Presidente do Município acusa socialista Correia da Luz de denegrir a sua imagem

O presidente da Câmara do Crato, João Teresa Ribeiro, acusou hoje o presidente da concelhia do Partido Socialista do Crato, Correia da Luz, de promover uma campanha de difamação para denegrir a sua imagem junto da população.

João Teresa Ribeiro falava, depois de na quinta feira, Correia da Luz, o ter acusado de incompetência e de parar o desenvolvimento daquele concelho.

O presidente da Câmara do Crato condenou ainda o seu antecessor de impedir que o executivo execute obras no concelho, votando sistematicamente contra o Orçamento, prejudicando com isso as populações.

O Orçamento da Câmara Municipal do Crato para 2011 já foi chumbado por duas vezes pela oposição PS e PSD na Assembleia Municipal.

Alentejo apresentou 33 candidaturas para inovação nas empresas turísticas

No Alentejo foram apresentadas 33 candidaturas a financiamento comunitário para apoiar o empreendedorismo e a inovação nas empresas turísticas.

Os dois concursos do Sistema de Incentivos à Inovação, lançados no âmbito do QREN -Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN) acolheram 171 projectos turísticos, a maioria relativos a hotelaria ou alojamento, anuncia o Turismo de Portugal. O investimento global ascende a 555 milhões de euros, “revelando o dinamismo das empresas e do sector turístico”, realça a mesma fonte.

As empresas da Região Norte foram as que apresentaram mais candidaturas (69). Seguiram-se o Centro (44), o Alentejo (33), Algarve (14) e Lisboa (11).

As empresas dos Pólos de Desenvolvimento Turístico são responsáveis por um quarto das candidaturas. O Pólo do Douro lidera em candidaturas (16) e investimento (86,4 milhões de euros), seguindo-se os Pólos do Oeste (7), Leiria-Fátima (6), Serra da Estrela (5), Alentejo Litoral (4) e Alqueva (3).

De acordo com a Turismo de Portugal este é “o maior número de sempre de candidaturas a financiamento comunitário para apoiar o empreendedorismo e a inovação nas empresas turísticas”.

Faixa publicitária

ELVAS.com.pt O Portal da Cidade
´