Portuguese English French German Italian Spanish
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária

CAIA: Homem apanhado com 69 cheques falsos

Um cidadão estrangeiro, de 29 anos, foi detido no passado dia 19 de Novembro na fronteira do Caia, Elvas, com 69 cheques falsos com um valor de cerca de um milhão e 700 mil dólares (1 243 000 euros).

Ao passar a fronteira, o homem foi fiscalizado pelos militares da GNR. Os cheques, além de falsos, eram de vários bancos. Foram também encontradas 1383 cartas com missivas relacionadas com um esquema de lotaria fraudulenta.

Foram ainda apreendidos três telemóveis e 1475 euros em dinheiro, além dos cheques e das cartas.

Paco Bandeira recebeu Medalha de Mérito de Elvas

Paco Bandeira, o mais reconhecido cantor e autor elvense, realizou no passado dia 19 de Novembro um concerto no Coliseu dos Recreios, em Lisboa, tendo sido distinguido com a Medalha de Mérito de Elvas.

Neste espectáculo, o artista que popularizou a frase “Oh Elvas, Oh Elvas, Badajoz à Vista” apresentou os principais êxitos de uma carreira com mais de quatro décadas.

Francisco Veredas Bandeiras nasceu em Elvas em 31 de Maio de 1945. Iniciou-se a cantar em público, com uma guitarra eléctrica, na estalagem de seu pai, às Portas de Olivença, em Elvas. Já sob o nome artístico de Paco Bandeira, integrou um conjunto musical muito reconhecido, nos anos 60 do século passado: “Os Cinco do Alentejo”, com Antónia Espada, António Ferreira, Lela Calhau e Martinho Garrido.

A entrada no mundo da canção nacional foi feita com a sua vitória no Festival da Canção da Guarda, transmitido em directo pela RTP e apresentado por Henrique Mendes, onde a vitória foi da canção “O Meu Violão”, composta e cantada por Paco Bandeira. Porém, a grande explosão da popularidade de Paco Bandeira fica associada a Elvas, pela canção “A Minha Cidade” e pelo refrão “Oh Elvas, Oh Elvas, Badajoz à Vista”. De resto, ainda hoje, quer no nosso País quer nas comunidades portuguesas espalhadas pelo mundo, se complementam referências a “Elvas” com a expressão “Badajoz à Vista”, ainda na sequência da referida canção.

Ao longo de mais de 40 anos de carreira, Paco Bandeira compôs e interpretou centenas de canções e participou em milhares de espectáculos. Cantor, autor, concorrente a festivais de canção e autor de bandas sonoras de telenovelas são as suas principais actividades no meio artístico.

Paco Bandeira, em 17 de Novembro de 2007, encerrou em Elvas, no Coliseu José Rondão Almeida, a sua presença profissional sobre os palcos, realizando o concerto da sua carreira. Já em 14 de Junho de 2000, a Câmara Municipal de Elvas decidira atribuir o nome de Paco Bandeira a um arruamento da Quinta do Sena.

Pelo seu percurso artístico e pela promoção que proporcionou ao Alentejo através das suas canções e particularmente a Elvas com o tema “A Minha Cidade”, a Medalha de Mérito de Elvas foi atribuída a Francisco Veredas Bandeira, “Paco Bandeira”, de acordo com o Regulamento para a concessão de medalhas: “A Medalha de Mérito destina-se a galardoar indivíduos ou entidades que, pelas suas obras ou acções no campo cultural, artístico, científico, técnico, profissional, desportivo, humano, etc., revelem qualidades e virtudes que devem ser especialmente apontadas ao respeito e consideração públicos, ou de forma a projectar o nome do Concelho no País ou no estrangeiro”.

Suspeitos anarquistas foram libertados

Apesar de uma das principais ameaças à segurança da cimeira da NATO, assumida pela PSP, ser a ocorrência de acções violentas em manifestações executadas por grupos de cariz anarco-libertário, o Tribunal de Elvas libertou ontem o casal detido pela GNR com fortes indícios de pretender participar nesse tipo de crime. A mulher pagou a multa e o homem foi "expulso" para Espanha. O homem, 27 anos, de nacionalidade espanhola, e a mulher, 33 anos, portuguesa, foram apanhados na fronteira de Caia, às 04.45, quando atravessavam de Espanha para Portugal.

Os militares da GNR, de uma equipa de investigação criminal à civil, encontraram no automóvel diversas armas brancas, entre as quais uma catana de 40 cm, uma navalha-borboleta e um estilete afiado. Foram também apreendidos cartazes com imagens de polícias, com a farda da PSP, e várias palavras antiautoridade em espanhol, como "Polícias são chulos e prepotentes", "Eles torturam, maltratam, matam e ficam impunes", entre outros.

Até às 17.00 de ontem, 19 pessoas foram impedidas de entrar em Portugal e oito foram detidas, informou o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), em comunicado, na sequência da reposição do controle fronteiriço feito pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras e pela GNR.

Faixa publicitária

AUTENTICAÇÃO


ELVAS.com.pt O Portal da Cidade
´