Faixa publicitária
Portuguese English French German Italian Spanish
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária

ÉVORA: Queima das Fitas arranca sábado com cartaz "mais eclético" e bandas internacionais

Um concerto do músico de reggae Patrice inicia sábado à noite a tradicional Queima das Fitas de Évora, que se prolonga até ao dia 4 de Junho, apostando num "cartaz mais eclético" e em bandas internacionais.

"Fizemos uma clara aposta num cartaz mais eclético, em que dividimos  os dias da queima por tipo de música, e também nas bandas internacionais", disse hoje à Agência Lusa o presidente da Associação Académica da Universidade  de Évora (AAUE), Luís Rodrigues. 

Para o dirigente estudantil, "o Alentejo também deve ter a oportunidade  de assistir a espetáculos de outro tipo de bandas e não sempre as típicas  bandas que estão em Portugal".

A AAUE, promotora da festa dos estudantes, teve "uma preocupação com  o preço dos bilhetes", tendo em conta a crise económica, disponibilizando "preços convidativos" que variam entre os três e os 14 euros para entradas  diárias. 

"Não podemos baixar o preço dos bilhetes devido a todos os custos que  temos, mas o preço manteve-se na linha dos do ano passado", assegurou Luís  Rodrigues. 

Com um orçamento superior a 300 mil euros, a Queima das Fitas de Évora arranca sábado com o músico de reggae Patrice como cabeça de cartaz, seguindo-se,  no domingo, os portugueses Diabo na Cruz. 

Quim Barreiros (segunda-feira), Peste & Sida (terça-feira), Gunther  and The Sunshine Girls (quarta-feira), Banda Lusa (quinta-feira), Mastiksoul  (sexta-feira) e Xutos & Pontapés (sábado) são os outros cabeças de cartaz  do evento.  

Além da atuação de DJ's e de várias tunas, o programa da Queima das Fitas de Évora inclui ainda atividades desportivas, uma garraiada académica  e o tradicional cortejo académico, entre outras iniciativas.

CURIOSIDADE: Portugueses criam "quinta sustentável" para o Facebook

Chama-se Rural Value e "está em fase final de desenvolvimento", devendo ser lançado em Junho, avança a equipa de responsáveis pelo projecto, que se inspira no Farmville para criar um jogo para gerir "uma exploração agrícola de forma ambiental e economicamente sustentável".

O jogo, 100 por cento português, foi concebido em conjunto pelo Instituto Superior Técnico (IST) e pela Biodroid, numa parceria com a Curiosidade Digital, sob a coordenação da Liga para a Protecção da Natureza, sendo apresentado como uma ferramenta também de carácter pedagógico.

Segundo explicam os responsáveis pelo projecto, a aplicação para o Facebook é baseada "numa sólida experiência científica e técnica, adquirida pelo IST nos seus vários projectos de agricultura sustentável".

Adaptado à realidade portuguesa, a quinta a gerir pelos jogadores é inspirada numa região nacional "com elevado valor em biodiversidade". Os jogadores encontram o terreno em mau estado, tendo como desafio recuperar a quinta com sucesso económico e ecológico.

Além de produzir, têm de implementar medidas adequadas à biodiversidade (sem as quais não obterão apoios públicos ou receitas de actividades como o ecoturismo) e para a qualidade do solo e dos recursos hídricos (sem as quais não conseguirão produzir).

Lavrar, semear, gerir o gado, colher e vender os produtos e candidatar-se a apoios públicos são algumas das tarefas a assegurar pelos agricultores virtuais, que terão ainda a seu cargo a escolha entre diferentes técnicas agrícolas, das quais dependerá o seu sucesso - espelhado no ecrã onde verão as culturas e o gado desenvolverem-se.

Recuperar casas para turismo rural, criar percursos para observação de fauna são outras as possibilidades, que ajudarão o jogador a progredir, vendendo serviços da quinta, mas para isso precisa de assegurar a criação de biodiversidade e conservação do solo.

CICLISMO: "Alentejana" passa em Campo Maior após 24 anos

Começa a 9 de Junho, termina quatro dias depois e promete muita emoção (e cor) nas estradas da região!

É este o "cartão-de-visita" da 29ª edição da Volta ao Alentejo em bicicleta, prova que, à imagem de 2010, volta a ser organizada pela CIMAC – Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central, pela Entidade de Turismo do Alentejo e pela empresa PAD/ João Lagos Sports.

A cidade de Beja é a grande "ausente" da competição, que arranca a 9 de Junho com a etapa entre Mora e Redondo. A Volta ao Alentejo vai decorrer até 12 de Junho, não sendo ainda conhecido o traçado das restantes três etapas, embora se saiba que uma delas partirá de Aljustrel e terá chegada em Mértola. Confirmada está também a passagem da caravana da "Alentejana" pela vila de Campo Maior, o que não sucede há 24 anos.

Para já, ainda não são conhecidas as equipas que vão marcar presença na Volta ao Alentejo em bicicletas de 2011, mas é quase certa a participação das portuguesas Onda-Boavista, Tavira-Prio, Barbot-Efapel, LA-Antarte e Louletano-Loulé Concelho. A estas cinco devem juntar-se no pelotão da "Alentejana" mais algumas formações estrangeiras.

Integrada no calendário internacional da UCI com a classificação 2.2, a Volta ao Alentejo em bicicleta é a única competição velocipédica do mundo onde nunca um ciclista logrou vencer mais que uma edição. Em 2010, a camisola amarela terminou no dorso do espanhol David Blanco, então ao serviço da equipa algarvia do Palmeiras Resort-Tavira.

Faixa publicitária

ELVAS.com.pt O Portal da Cidade
´