Portuguese English French German Italian Spanish
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária

FRONTEIRA: Mais de 360 pilotos de 92 equipas vão rodar no terródromo da vila

Mais de 360 pilotos de 92 equipas vão alinhar na 14ª edição das 24 Horas TT Vila de Fronteira, um número que ainda poderá aumentar depois das verificações finais, dado que algumas equipas ainda têm várias confirmações nominais para fazer.

A prova inicia-se na próxima sexta-feira, dia 25 de Novembro, com a realização dos treinos entre as 14.00 e as 18.30 horas. No sábado a partida oficial da corrida está agendada para as 13.00 horas, terminando à mesma hora de domingo, dia 27 de Novembro.

Das equipas que vão alinhar no terródromo de Fronteira, cinquenta e cinco são portuguesas, trinta e três francesas, uma angolana e outra da Letónia.

Carlos Sousa, referência do todo-o-terreno em Portugal e o campeão nacional de TT, Miguel Barbosa, são dois dos pilotos portugueses que vão participar nas 24 Horas TT Vila de Fronteira, a par dos irmãos Francisco e Nuno Inocêncio, Adélio Machado e José Pedro Fontes, entre outros.

A armada francesa está representada pelos vencedores das 24 Horas de Paris deste ano e campeões gauleses de TT Resistência – Stephane Barby e Nicolas Clerget, que fazem equipa com Alexandre Andrade no carro que venceu a prova portuguesa em 2010, para além de Mário Andrade.

De destacar que Fronteira marcará a decisão da edição deste ano do Desafio Elf/Mazda, para a qual o piloto de Portalegre João Rato parte como grande favorito.

Autarcas analisaram Documento Verde da Reforma Administrativa

Na sequência de uma solicitação do Governo, a Câmara Municipal de Elvas decidiu, na reunião do executivo municipal de 26 de Outubro, realizar uma sessão de esclarecimento sobre o Documento Verde da Reforma Administrativa Local. Para esta reunião, foram convidados a participar todos os eleitos da Câmara Municipal, Assembleia Municipal, Juntas de Freguesia e Assembleias Municipais.

No decurso dos trabalhos, que tiveram lugar no auditório do Centro de Negócios Transfronteiriço no passado dia 19, foi feita inicialmente uma apresentação resumida dos pontos salientes do documento, com maior incidência no Concelho de Elvas. De seguida, entre seis dezenas de presenças, registaram-se cerca de dezena e meia de intervenções, a partir das quais foram aprovadas, com uma abstenção, as conclusões seguintes:

1.- O partido mais votado é que deve formar a Câmara Municipal e as Juntas de Freguesia, produzindo assim órgãos monocolores;

2.- Os poderes da Assembleia Municipal e das Assembleias de Freguesia devem ser reforçados;

3.- Os Presidentes das Juntas de Freguesia devem fazer parte, de pleno e com direito a voto em todas as matérias, da Assembleia Municipal;

4.- As sete Freguesias rurais do Concelho devem manter-se com os limites geográficos actuais;

5.- Manifestada disponibilidade para estudar a viabilidade da redução de quatro para duas do número de Freguesias urbanas do Concelho;

6.- O Município deve ter autonomia para decidir o número de vereadores a tempo inteiro ou parcial;

7.- As equipas executivas das Juntas de Freguesia devem manter a mesma estrutura de um Presidente, um Secretário e um Tesoureiro;

8.- Os Municípios devem ter autonomia para a definição da estrutura de recursos humanos, estando sujeitos a limites orçamentais na sua globalidade;

9.- Rejeitar, por completo, a transferência de qualquer poder dos Municípios para as Comunidades Intermunicipais;

10.- Manifestada a disponibilidade do Poder Local para receber novas competências do Poder Central, com as respectivas contrapartidas financeiras;

11.- Concordar com a apresentação de uma lista única para a eleição da Assembleia Municipal, da qual resulte a composição da Câmara Municipal;

12.- O Presidente da Câmara deve recorrer aos elementos da Assembleia Municipal para formar os seus executivos, sendo obrigado a respeitar, nessa escolha, a ordem dos eleitos da respectiva lista pela qual se apresente;

13.- Por fim, lamentar a ausência dos elementos convidados para esta sessão que não quiseram estar presentes, contrariando a intenção do Governo no sentido de ver este assunto analisado e debatido por autarcas, partidos políticos e outras forças da sociedade civil portuguesa.

BADAJOZ: 1.281 bebés portugueses nasceram no Materno-Infantil

Cerca de 1.300 bebés portugueses nasceram, desde 2006 e até este mês, no Hospital Materno-Infantil de Badajoz, no âmbito do acordo entre Portugal e Espanha devido ao fecho da sala de partos do Hospital de Elvas.

O Hospital Materno-Infantil de Badajoz revelou à agência Lusa que, até dia 7 de Novembro de 2001, tinham nascido naquela unidade 1.281 bebés portugueses, 260 dos quais através de cesariana.

Estes nascimentos no hospital espanhol enquadram-se no convénio celebrado em 2006 entre as autoridades portuguesas e da região da Extremadura espanhola, que ainda está em vigor.

O acordo veio colmatar o fecho da sala de partos do Hospital de Elvas, em Junho de 2006, permitindo às grávidas daquele concelho e do município vizinho de Campo Maior optarem entre o hospital de Badajoz ou os hospitais de Portalegre e Évora.

Nesse primeiro meio ano de parceria, nasceram 164 bebés de grávidas portuguesas, tendo o número aumentado para os 238 em 2007 e, nos dois anos seguintes, sofrido ligeiros decréscimos, primeiro para 233 (em 2008) e depois para 216 (2009).

O ano passado foi aquele em que nasceram mais crianças portuguesas em Badajoz, um total de 247, o que perfaz à volta de 8,2 por cento dos partos totais realizados, em 2010, na unidade hospitalar.
Faixa publicitária

AUTENTICAÇÃO


ELVAS.com.pt O Portal da Cidade
´