Portuguese English French German Italian Spanish
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária

DRCAlentejo emitiu parecer positivo para a inventariação da olaria de S. Pedro do Corval

A Direcção Regional de Cultura do Alentejo (DRCAlentejo) emitiu parecer positivo para a abertura do processo de inventariação da olaria de S. Pedro do Corval pela Direcção Geral do Património Cultural. O Município de Reguengos de Monsaraz está a tratar do registo do património imaterial do concelho e constituiu uma equipa de trabalho para a elaboração dos processos.

O Centro Oleiro de S. Pedro do Corval é considerado o maior de Portugal com 22 olarias em actividade que continuam a pintar os motivos típicos do Alentejo, como por exemplo o pastor, a apanha da azeitona e a vindima. No concelho de Reguengos de Monsaraz foram encontrados vestígios de olaria desde os tempos pré-históricos, nomeadamente de peças feitas à mão, descobertas, por exemplo, em antas da região.

Em 1276, D. Afonso III, no foral Afonsino de Monsaraz, reconhece privilégios aos oleiros do seu termo que poderiam assim ter livremente fornos de olaria. No foral Manuelino, de 1512, também há referência à olaria do concelho, e já em 1905 S. Pedro do Corval teria cerca de 30 oficinas em funcionamento, havendo a distinção entre as de louça miúda, as de talha para o vinho (seriam quatro) e as de tarefas para a aguardente (seis), o que demonstra também a importância da localidade na produção vinícola.

A olaria de S. Pedro do Corval é uma marca registada, pois em 2008 o Município de Reguengos de Monsaraz registou no Instituto Nacional da Propriedade Industrial as marcas nacionais "Olaria de São Pedro do Corval", "Rota da Olaria", "Rota dos Oleiros" e "Olaria". A autarquia organiza há 24 anos a Festa Ibérica da Olaria e do Barro em conjunto o município de Salvatierra de los Barros, na Extremadura espanhola, juntando os maiores centros oleiros da Península Ibérica.

Em 2015 foi inaugurada a Casa do Barro, um centro interpretativo que visa preservar, promover e assegurar a sustentabilidade da olaria de São Pedro do Corval, proporcionando a todos os visitantes o conhecimento e a aprendizagem sobre a arte oleira e o barro através de oficinas, palestras e outras actividades. A Casa do Barro resulta da reabilitação de uma antiga olaria, envolta em história e tradição, com dois fornos a lenha que serviam para cozer a louça, um tino onde se coava o barro e rodas de oleiro com as suas imponentes arquinas. A recuperação deste local permitiu recriar o ciclo do barro, desde a terra ao produto final.

O centro interpretativo tem à disposição do público o Espaço Actividade, onde se realizam iniciativas com oleiros e ceramistas e os visitantes podem aprender a manusear o barro e a produzir uma peça numa roda de oleiro. A Área Expositiva tem informação sobre todas as olarias em actividade e no Espaço Memória os visitantes encontram objectos e documentos sobre a história do centro oleiro, incluindo peças de barro antigas, dois fornos tradicionais a lenha, um tino, um tanque e rodas de oleiro. No Espaço Mostra, ao ar livre, podem ser apreciadas as peças produzidas pelas olarias actualmente em actividade.

PORTALEGRE: GNR recupera veículos e equipamentos furtados

 
A Guarda Nacional Republicana (GNR) recuperou diverso material furtado em empresas do distrito de Portalegre.

No decorrer de uma investigação por furto de equipamentos agrícolas e de construção civil, que decorria há cerca de um ano, em que são arguidos dois homens de 29 e 31 anos, foram realizadas buscas a um estaleiro e a um veículo, onde se destaca a apreensão de uma retro-escavadora; um empilhador telescópico; um motociclo e uma moto 4; um gerador a gasolina e um bate estacas.

Durante a operação a GNR detectou ainda infracções aduaneiras que originaram um auto de notícia por contra-ordenação, devido à utilização de gasóleo colorido em veículos não autorizadas.

Esta acção foi desenvolvida pelo Núcleo de Investigação Criminal de Ponte de Sor e contou com o apoio do Destacamento de Acção Fiscal de Évora e do Destacamento Territorial de Nisa.

ÉVORA: Obras de 1,2ME vão requalificar Palácio de D. Manuel

As obras de requalificação do histórico Palácio de D. Manuel, em Évora, já arrancaram, num investimento de 1,2 milhões de euros, para transformar o edifício num centro interpretativo e de acolhimento a turistas, revelou a câmara.

"As obras de requalificação do Palácio de D. Manuel já estão em curso" e têm um prazo de execução de 600 dias, explicou o município, em comunicado.

A empreitada, contratualizada por mais de 1,2 milhões de euros, é financiada a 85% por fundos comunitários, ao abrigo do Programa Operacional Alentejo 2020, sendo os restantes 15% suportados pela autarquia.

O projecto é assinado pelos arquitectos Victor Mestre, da Universidade de Coimbra, e Sofia Aleixo, da Universidade de Évora, e a intervenção, assinalou o município, pretende "dotar todo o edifício de modernas condições de segurança e funcionalidade".

"Este icónico monumento", que já completou cinco séculos de existência, "vai beneficiar de obras de conservação e consolidação estrutural que, entre outros, incluem trabalhos de estabilidade na cobertura", indicou a câmara.

A intervenção vai também tornar "mais funcional" a acessibilidade ao edifício, com a instalação de "um elevador adaptado a visitantes com mobilidade reduzida" e a criação de "um novo acesso a partir da Praça 1.º de Maio".

A adaptação das instalações sanitárias ou a renovação das condições térmicas e acústicas são outras das valências objecto de requalificação, indicou o município, realçando, contudo, que o projecto não envolve alterações no exterior do palácio.
Faixa publicitária

ELVAS.com.pt O Portal da Cidade
´