Portuguese English French German Italian Spanish
Faixa publicitária
Faixa publicitária

Delta Cafés produz cogumelos a partir da borra de café

 
Reforçando o seu compromisso na sustentabilidade e nas boas práticas ambientais, a Delta Cafés, em parceria com a Start-up Nãm, criou a NÃM – Urban Mushroom Farm, em Marvila, um projecto de economia circular que já está a produzir cogumelos a partir da borra de café recolhidos de clientes Delta, e que posteriormente são vendidos a restaurantes, completando um círculo perfeito.

A Urban Mushroon Farm já está de portas de abertas em Lisboa, numa iniciativa pioneira entre a Delta Cafés e a start-up NÃM – From Waste To Taste, e preparada para receber quem a queira visitar. Este projecto de economia circular apoiado pela marca de cafés nacional, e que insere na sua estratégia de sustentabilidade, permite dar uma nova vida à borra do café através da recolha controlada nos clientes Delta, e na sua utilização para a produção sustentável e consciente de cogumelos. Os primeiros cogumelos produzidos já começaram a ser vendidos a restaurantes clientes da Delta, mas também podem ser adquiridos em mercados da cidade ou directamente na Urban Farm em Marvila.

As borras de café são recolhidas através de recipientes próprios e recorrendo a um método de aproveitamento simples que se inicia quando a água quente, na extracção de "uma bica", passa pelo café, limpando desta forma a borra. O processo de preparação de um café só utiliza 1% da sua biomassa, os restantes 99% são considerados "lixo". Esta borra representa um substrato limpo e rico em nutrientes, um excelente alimento para os cogumelos, resultando num alimento fresco e amplamente saboroso.

Após o crescimento do cogumelo, o composto restante transforma-se num fertilizante nutritivo de alta qualidade que é entregue em quintas locais para ajudar outros agricultores. Assim, tal como na natureza, termina o ciclo criando um novo recurso.

Para Rui Miguel Nabeiro, administrador do Grupo Nabeiro-Delta Cafés, "este é um compromisso que surge no âmbito da estratégia de sustentabilidade do Grupo Nabeiro-Delta Cafés que tem como finalidade reduzir o impacto ambiental e maximizar o impacto social positivo, assente numa produção eco-eficiente e no desenvolvimento de projectos sustentáveis. É uma filosofia transversal a todas as áreas e faz parte do ADN de todas as empresas do Grupo e do seu Fundador que, desde sempre, criou condições para o desenvolvimento sustentável das comunidades. Através da Nãm queremos provar que proteger a natureza também é criar valor para a comunidade e que conseguimos conciliar a economia com a ecologia, que é o maior desafio do nosso tempo".
 
"Faço parte da primeira geração que sente os efeitos do aquecimento global e a última que pode fazer alguma coisa em relação a isso. Acima de tudo, para mim, a Nãm representa uma oportunidade única para demonstrar que soluções concretas e acessíveis podem fazer a diferença. E ainda que através da criação de sinergias positivas podemos ter um impacto muito maior e mais rápido! Se, em conjunto, focarmos a nossa energia na construção de um futuro mais sustentável em vez de combatermos os modelos antigos, estou convencido que a mudança pode acontecer", referiu Natan Jacquemin, Fundador da NÃM.

Porto de Sines a crescer na carga contentorizada

 
Os resultados alcançados no terceiro trimestre de 2020 voltaram a colocar o Porto de Sines na trajectória de crescimento no que respeita à carga contentorizada. Com um total acumulado de Janeiro a Setembro de 1,17 milhões de TEU (contentores de 20 pés), Sines alcançou um aumento de 8,3% em relação ao mesmo período homólogo.

No que respeita à movimentação total do porto, apesar do 3º trimestre assinalar um crescimento de 32,7% comparativamente ao trimestre anterior, o Porto de Sines registou uma diminuição de 2,5% na movimentação acumulada, permitindo, ainda assim, ultrapassar os 30 milhões de toneladas movimentadas até Setembro.

Os granéis sólidos contribuíram decisivamente para esta quebra, com uma redução de mais de dois milhões de toneladas de carvão, motivado pelo encerramento das centrais termoeléctricas a carvão no âmbito da descarbonização energética em curso no nosso país.

Relativamente aos granéis líquidos, registou-se a manutenção dos volumes de movimentação do mesmo período do ano anterior (-0,9%), com o gás natural liquefeito a manter-se também nos mais de 3,1 milhões de toneladas movimentadas no período em análise. Por outro lado, o segmento da carga geral demonstrou um comportamento bem positivo, onde se inclui a carga contentorizada, que registou mais 12,1% em termos de tonelagem, em referência ao mesmo período do ano anterior.

A trajectória apresentada até ao final do mês de Setembro permite perspectivar um fecho de ano com sinal positivo, apesar do contexto pandémico em que vivemos. Todos os agentes económicos e autoridades com actividade em Sines têm contribuído decisivamente para colocar o Porto de Sines num patamar de excelência, garantindo o normal funcionamento da economia e o completo funcionamento das cadeias logísticas.

ELVAS: PSP detém dois homens por resistência e coação

 
A Polícia de Segurança Pública (PSP) deteve esta quinta-feira, dia 5 de Novembro, em Elvas, dois homens, de 22 e 37 anos de idade, pelo crime de resistência e coação, factos ocorridos junto a uma superfície comercial da cidade de Elvas.

De acordo com fonte do Comando Distrital de Portalegre da PSP, os meios policiais foram chamados ao local para auxiliarem um agente na identificação de um outro cidadão, por este ter cometido infracções ao direito rodoviário, sendo que, os polícias foram constrangidos na sua acção, tendo os suspeitos ameaçado e tentado agredir os agentes da autoridade, dificultando desta forma o trabalho policial, motivo pelo qual lhes foi dada voz de detenção.

Os factos foram comunicados à autoridade judiciária, aguardando os detidos em liberdade as diligências processuais.
Faixa publicitária
Faixa publicitária

ELVAS.com.pt O Portal da Cidade
´